27 de Junho, 19h: “Paula Rego, Histórias e Segredos”

Realização: Nick Willing

Documentário

GB, 2017, 92′

Conhecida por ser muito ciosa da sua privacidade, Paula Rego revela-se pela primeira vez neste filme, surpreendendo o seu filho, o cineasta Nick Willing, com histórias e segredos da sua vida excepcional, uma vida de luta contra o fascismo, um mundo da arte misógino e a depressão.
Nascida em Portugal, um país sobre o qual o pai lhe disse que não era bom para as mulheres, Rego usou as suas imagens poderosas como uma arma contra a ditadura antes de se estabelecer em Londres, onde continuou a abordar questões sobre a situação da mulher como o direito ao aborto. Mas, acima de tudo, as suas pinturas são um vislumbre críptico sobre um mundo íntimo de tragédia pessoal, fantasias perversas e verdades constrangedoras.
Nick Willing combina um grande arquivo de filmes caseiros e fotografias de família com entrevistas que percorrem 60 anos de vida e imagens de Rego a trabalhar no seu estúdio. E o resultado é um poderoso retrato pessoal da vida e obra de uma artista cujo legado vai sobreviver ao tempo, ilustrado visualmente em pastel, carvão e tinta a óleo.

 

Um belo acontecimento na área documental: Nick Willing dialoga com a sua mãe, Paula Rego — o resultado é, de uma só vez, um exercício de revelação humana e uma viagem através de um admirável universo pictórico.

Mais do que nunca, importa (re)valorizar o facto de o género documental ter deixado de ser um parente pobre no panorama corrente da exibição cinematográfica — passou mesmo a ser uma presença regular na oferta da distribuição/exibição.

A sua proliferação envolve, por vezes, alguns banais efeitos de moda? É verdade que sim, mas isso não nos impede de reconhecer as muitas revelações que têm vindo dessa área — “Paula Rego, Histórias & Segredos” pode ser uma magnífico exemplo.

Eis a questão: como filmar o universo de Paula Rego? Digamos que a pergunta pressente, desde logo, a complexidade artística e humana do que está em jogo. Mas importa acrescentar uma fascinante ambiguidade: como ser cineasta e filmar o universo criativo da sua mãe? É verdade: este é um filme dirigido por Nick Willing, filho de Paula Rego — e, como seria inevitável, isso está longe de ser um detalhe secundário.
Willing evita a facilidade de querer convencer o espectador de que o seu acesso privilegiado à personagem retratada lhe confere qualquer “vantagem”. Este é mesmo um filme construído, antes do mais, a partir da perplexidade do filho que, logo no início, nos confessa que ficou surpreendido com a disponibilidade de Paula Rego, num misto de desassombro e serenidade, falar de muitas memórias de absoluta intimidade — assistimos, assim, a um genuíno processo de revelações.
O mais notável é o modo como tudo isso se vai entrelaçando para gerar um invulgar retrato cinematográfico. “Paula Rego, Histórias & Segredos” é isso mesmo que está condensado no título. A saber: uma deambulação de palavras e imagens que nos ajuda a sentir (ainda mais) as vibrações internas de um admirável universo pictórico. Ou como o cinema se faz e refaz através da cumplicidade com as outras artes.
Crítica de João Lopes
Anúncios

One response to “27 de Junho, 19h: “Paula Rego, Histórias e Segredos”

  1. Republicou isto em glutaodigital and commented:
    Já vi e gostei

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s