19 de Novembro, 15.30h: “O Rapaz e o Monstro”

the-boy-and-the-beast-377979l-1600x1200-n-6dd841b3

RealizaçãoMamoru Hosoda

IntérpretesBryn Apprill (Voz)Kumiko Asô (Voz)Morgan Berry (Voz)

Japão, 2015, 119′

Órfão de pai e mãe, o pequeno Kyuta sobrevive como pode nas ruas de Tóquio (Japão). Um dia, sem saber como, vê-se em Jutengai, um mundo imaginário de onde não consegue sair. Ali conhece estranhas criaturas que lhe parecem ainda mais ameaçadoras do que os adultos da sua cidade. Entre elas está Kumatetsu, um lutador de artes marciais que, apesar da aparência feroz, acaba por se assumir como uma espécie de pai e mentor de Kyuta. A relação, nem sempre pacífica, entre o rapaz e aquele monstro, torna-se cada vez mais íntima e profunda, com cada um a compensar as necessidades do outro…
Um filme de animação sobre o valor da amizade, escrito e realizado por Mamoru Hosoda. PÚBLICO

 

“O Rapaz e o Monstro”, de Mamoru Hosoda
por RUI ALVES DE SOUSA

No segundo dia da Monstra de 2016 foi exibido o mais recente filme do realizador Mamoru Hosoda. É um nome já conhecido do festival, que passou por edições anteriores e ganhou um prémio da competição de longas metragens em 2008, como referiu Fernando Galrito na introdução ao filme. Êxito de bilheteira no Japão (foi o segundo título mais rentável no país em 2015), O Rapaz e o Monstro é uma aventura divertida e bem humorada, com um espírito familiar, pertencente a um tipo de histórias que se tornou comum nos animes, tanto no cinema como na televisão. Não será por acaso que Hosoda esteja ligado a universos animados emblemáticos para a geração que, entre os finais dos anos 90 e os primórdios do terceiro milénio, via programas com “bonecos” japoneses exibidos pelos canais generalistas – falamos de One Piece e, sobretudo, de Digimon.

É esta série que O Rapaz e o Monstro faz lembrar: ao centrar-se na demanda de um pequeno rapaz que se sente perdido na vida urbana, e que acidentalmente vai parar a um mundo paralelo, habitado por “monstros”.  São animais de todas as espécies, que falam, competem entre si e, imagine-se!, praticam artes marciais. Ren, o garoto protagonista do filme, torna-se o aprendiz de um mestre sem trabalho – e entre momentos mais ou menos interessantes, lá vamos acompanhamos o crescimento do jovem entre dois mundos (na arte das lutas e, acima de tudo, na sua construção como um ser humano), e o companheirismo que vai crescendo entre o professor e o seu aluno.

Temos em O Rapaz e o Monstro um bom motivo de entretenimento para todas as idades. Os mais pequenos vão gostar mais do que os adultos, obviamente, mas o humor do filme e das personagens sustenta a atenção tanto dos pequenos como dos mais crescidos. É aí que temos a grande força desta história animada, que se vê com gosto. Há aqui diversão suficiente que sustente as duas horas que o filme demora a mostrar-nos as múltiplas facetas desta aventura.

do blog https://maquinadeescrever.org/

 

 

 

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s