21 de Julho, 21.30h – Piscinas: “O Caso Spotlight”

Spotlight blog

RealizaçãoTom McCarthy

IntérpretesMark RuffaloMichael KeatonRachel McAdamsLiev SchreiberStanley TucciJohn Slattery

EUA, 2015, 129 ‘  M/12

O The Boston Globe descobre um gigantesco escândalo que envolve o abuso sexual de crianças e o encobrimento pela arquidiocese local. O resultado da investigação jornalística abalou os alicerces da Igreja Católica em todo o mundo.

Contra o jornalismo tablóide

Recuperando a tradição de Hollywood apostada em dar conta da complexidade do verdadeiro trabalho jornalístico, “O Caso Spotlight” é um dos mais importantes títulos americanos de 2015 —  nomeado para seis Oscars, incluindo melhor filme (que ganhou)

Decididamente, importa contrariar a visão estereotipada da produção cinematográfica americana como uma fábrica apenas orientada para os “blockbusters” que estamos habituados a ver nos lugares da frente da contabilidade das bilheteiras… Há mais mundos. E há muito mais filmes que importa não secundarizar.

Este ano, mais do que nunca, basta passar os olhos pela lista dos principais nomeados para os Oscars para pressentirmos essa fascinante diversidade. Com seis nomeações — incluindo uma para melhor filme e duas nas categorias secundárias de interpretação (Mark Ruffalo e Rachel MacAdams) —, realizado por Tom McCarthy, “O Caso Spotlight” é um dos títulos que, de forma brilhante, ilustra uma tradição vital na história de Hollywood: a abordagem de grandes temas sociais a partir do trabalho jornalístico.
Trata-se, assim, de seguir a odisseia de um grupo, denominado ‘Spotlight’ (o título português é algo equívoco), pertencente ao jornal The Boston Globe, investigando uma série de casos de pedofilia que viria a ter dramáticas repercussões, tanto nos EUA, como a nível internacional — em questão estão as agressões sexuais a crianças perpetradas por membros da Igreja Católica. A publicação de vários artigos sobre o assunto, iniciada em 2001, veio a receber um Prémio Pulitzer de excelência jornalística.
Que está em jogo, então? Digamos, acima de tudo, que isto não é um banal “talk show” em que se exibem as vítimas para suscitar as mais primárias reacções de piedade. “O Caso Spotlight”, a meio caminho entre a crónica social e o “thriller”, segue, ponto por ponto, a investigação jornalística, expondo em particular a dificuldade de encontrar o tempo certo para uma decisão fulcral. A saber: quando chega o momento em que a acumulação de informações devidamente avalizadas pode (e deve) passar para a página do jornal, quer dizer, para o domínio público.
Em tempos de triunfo da irresponsabilidade do jornalismo tablóide, este é um filme apostado em mostrar e demonstrar que o genuíno trabalho jornalístico envolve, sempre, a capacidade de lidar com a complexidade do mundo e das relações humanas. Reencontramos, assim, uma tradição que passa por títulos como “O Grande Escândalo” (Howard Hawks, 1940), “América, América para Onde Vais?” (Haskell Wexler, 1969) ou “Os Homens do Presidente” (Alan J. Pakula, 1976) — “O Caso Spotlight” é um legítimo herdeiro da nobreza desses filmes.

João Lopes, in CineMax

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s