8 de Setembro, 19h: “Ruinas” + “Tony”

Realização: Manuel Mozos

Documentário

PORTUGAL – 2009, 60’

“Ruinas” é um documentário onde nos são apresentadas uma série de edifícios e estruturas danificadas pela usura dos tempos e pelo abandono dos que alguma vez os habitaram.

Esta estranha viagem para que somos convidados percorre, sem ordem definida, vários pontos do país, deixando antever as memorias fragmentafas dum passado ainda vivo, mas condenado ao desaparecimento.

Partimos da implosão das torres em Tróia, pó, nada mais que pó, pó esse representado logo a seguir na campa de um cemitério no Porto. E a viagem continua, restos de um outro Portugal (eventualmente os melhores sonhos de ontem), ruínas, algumas reconhecíveis, antigos hospitais, orfanatos sem vida, o Parque Mayer, as Minas de São Domingos, a Estalagem Gado Bravo, o Restaurante Panorâmico de Monsanto. Passamos igualmente por cinemas, igrejas, complexos balneares e casas, muitas casas, não mais que destroços , bocados que completam a manta de retalhos biográfica e subterrânea de um país, tudo condenado pela ausência das lembranças e transformado em lixo.

E neste Portugal devastado e spectral, doloroso porque verdadeiro, a cheirar ainda a Estado Novo, são adicionados fragmentos em voz off: alguém que lê receitas culinárias, cartas, versinhos, notícias, relatórios. Câmaras de eco dessas ruínas despovoadas, mas ainda com vozes.

“Ruínas” ganhou o prémio Georges de Beauregard no FIDMarseille – Festival International du Documentaire.

A curta-metragem “Tony”, estreia na realização de Bruno Lourenço, é exibida em complemento deste filme

Jorge, ascensorista e bagageiro de um hotel de Lisboa, vive numa pensão familiar e é constantemente assediado pela filha da dona. Ao mesmo tempo que resiste aos seus avanços, o tímido rapaz alimenta um sonho: ser a incarnação do cantor Tony de Matos. Esta obsessão leva-o a inscrever-se num singular concurso de karaoke subordinado ao tema “Glórias do Nacional Cançonetismo”, onde tem a possibilidade de dar vida à figura do seu herói. É no meio destas estranhas personagens que Jorge percebe que afinal não está só.
Um filme com Tiago Fagulha, Rita Martins, Francisco Mozos, Sofia Marques e Francisco Nascimento.

Os comentários estão fechados.