11 de Março, 19h: “Anticristo”

Realizador: Lars Von Trier
Interpretação: Williem Dafoe, Charlotte Gainsburg
Género: drama, “thriller”
Origem: Dinamarca / Alemanha
2009, 104′, M/18

Anticristo, o tão falado derrubador de limites e amaldiçoado filme, sulfuroso para uns e de muito mau gosto, segundo outros. De qualquer maneira, ganhou a Palma de Ouro do último Cannes, pelo trabalho de Charlotte.

Fiquemos com as linhas gerais do argumento: depois da trágica e acidental morte do seu único filho, um casal retira-se para uma cabana numa floresta chamada EDEN, esperando conseguir ultrapassar a dor e a perda e salvar o casamento. Ele, psicoterapeuta, tenta que a mulher abandone o limbo onde se encontra, sentindo-se profundamente culpado pela morte da criança e a um paso da loucura.

Trier, com uma carreira onde os seus filmes são, à partida, considerados não fáceis, traz muitas das suas fobias e preocupações pessoais para o celulóide, o que eventualmente “choca” o cinéfilo menos avisado.

Fiquemos, para já, com a chamada de atenção para o salto desconcertante e mergulho na violência explícita quando abandona a história humana e entra na alegoria do pecado original.

Autor: João Mourão

Os comentários estão fechados.